TEOLOGIA DA DESCONSTRUÇÃO 4 – O Deus que desconstrói toda expectativa humana de Deus

6627387511_799384eeb4_b

Com a queda do ditador vista no texto passado começou a ruir tudo o mais e experimentei uma felicidade indescritível. Não que eu já estivesse pleno em relação a esta revelação, como disse no texto anterior, isto é matéria para a eternidade. Mas me senti como criança dando uma dedada num delicioso bolo, quente demais para comer, mas que já dera pra sentir o gostinho, e era delicioso. Não que eu tivesse atingido a perfeição, mas eu tinha a certeza de uma coisa, a perfeição já tinha me atingido.

A palavra que nocauteou a estátua foi me dada enquanto lia o evangelho de Mateus, quando me deparei com o capítulo 17, entre os versos primeiro e oitavo, o texto dizia o seguinte: Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro e os irmãos Tiago e João e os levou, em particular, a um alto monte. E foi transfigurado diante deles; o seu rosto resplandecia como o sol, e suas vestes tornaram-se brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com Ele. Então, disse Pedro a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, farei aqui três tendas, uma será tua, outra para Moisés, outra para Elias. Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e eis, vindo da nuvem, uma voz que dizia: Este é meu filho amado, em quem me comprazo a ele ouvi. Ouvindo-a os discípulos, caíram de bruços tomados de grande medo. Aproximando-se deles, tocou-lhes Jesus, dizendo: Erguei-vos e não temais! Então, eles, levantando os olhos, a ninguém viram, senão somente a Jesus.

Esta palavra caiu como uma bomba em meu peito. Naquele momento era como se tivesse ouvido a voz de Deus me respondendo a pergunta que tinha feito naquela linda noite. Jesus havia destacado alguns de seus discípulos, Pedro, Tiago e João e subiu com eles a um alto de um monte. De repente, algo extraordinário aconteceu, Jesus cumpre sua palavra, dada no verso vinte e oito do capitulo 16.

Aqueles homens estavam presenciando Jesus em sua glória. Seu rosto resplandecia como o sol, suas vestes se iluminaram. Sem muitas explicações Moisés e Elias se fizeram presentes e conversavam com Jesus como bons amigos. Mas ainda não era tudo. Surpreendentemente o próprio Pai se manifesta na nuvem de glória, pois tinha um recado importante para me dar, dois mil anos depois deste evento, algo que mudaria ainda mais minha vida, e quem sabe pode mudar a sua.

“Você quer mesmo saber que Eu Sou?”, foi o questionamento que inundou minha consciência. “Este é meu filho amado, em quem tenho todo o meu prazer, Jesus, é a Ele que você deve ouvir. Se você quer saber como eu penso, como eu ajo, como Eu Sou, este é meu Filho amado, a Ele ouvi.” Foi assim que Deus respondeu em primeira instância, minha oração.

Posteriormente o texto dizia que, ao ouvir a voz que saía da nuvem, os discípulos caíram com o rosto em terra, atemorizados, mas Jesus se aproxima deles e lhes toca dizendo: “Não temam, levantem-se”. Foi ai que mais uma vez a voz de Deus foi ouvida em meu coração de maneira significativa e bela.

O texto diz: “Então, eles, levantando os olhos, a ninguém viram, senão somente a Jesus.” As figuras de Moisés e Elias haviam desaparecido. É como se Deus estivesse me dizendo, diante do meu filho amado, é desnecessário o testemunho de quem quer que seja, para a revelação de quem Eu Sou, “Ele é a plenitude da divindade”, “A expressão exata do meu ser”, e “Este é meu Filho amado, a Ele ouvi.”

Para mim, é como se Deus estivesse me dizendo: “A lei é insuficiente para me revelar”, representada aqui na figura de Moisés. “Os profetas são insuficientes para me revelar”, tendo Elias como a figura principal do profetismo. Diante de Jesus, o Cristo, e do holofote que o Pai acende sobre o Filho, não resta nenhuma alternativa mais apropriada e obediente, para Moisés e também para Elias, a não ser desaparecer do cenário do monte dando lugar Àquele que é tudo em todos.

Fiquei um tanto chocado a principio devido a minha religiosidade, pois Moisés e Elias representavam partes significativas das escrituras, a lei e os profetas. Quero deixar claro aqui que não as estou desmerecendo e nem suprimindo sua autoridade e valor, porções preciosas das escrituras; estou apenas afirmando categoricamente o que aprendi: o valor e autoridade das escrituras residem em testemunhar de uma pessoa, Cristo, além de a sua aplicabilidade e revelação estarem sujeitas à esta mesma pessoa, como um cânon.

Isto implica dizer que, uma vez diante de Cristo, é à Ele que devemos ir, e somente a Ele. Se não quisermos ser contados entre aqueles que foram alvo de sua critica que dizia: “Examinais as escrituras, porque julgais ter nela a vida eterna. São estas mesmas escrituras que testificam de mim, contudo não quereis vir a mim para terdes vida.” João 5:39-40. É a Ele que devemos buscar, Jesus, o Cristo, é a Palavra, o Verbo de Deus encarnado entre nós.

Uma das grandes dificuldades de se escrever, é que uma vez escrito, escrito está. E outra regra básica a todo escritor, se bem que não me considero um, tendo em vista o fato de que nem escrever eu sei e isto traz grandes dificuldades, é o fato de que não se pode ter controle sobre a interpretação do leitor; se bem que isto por um lado é até bom, por outro, sei que alguns distorcerão o que estou dizendo.

O que estou querendo dizer aqui é seguinte: muitos podem entendem a partir do que escrevi que estou relativizando o valor das escrituras. Não estou. Estou sim, dizendo que o que não passa pelo crivo de Cristo, não é palavra de Deus, a palavra de Deus é Jesus, o Cristo, e ponto final.

Satanás usou, no capitulo 4 do evangelho de Lucas, os textos das sagradas escrituras, para tentar a Jesus Cristo, porém com um espírito contrário incitando Jesus a ser autossuficiente, e a dar um espetáculo público de poder. Algo que fere a revelação de Deus trazido por Jesus Cristo, que culmina na cruz; do Deus que ama a descrição, e que mesmo tendo todo poder não se impõe por ele.

Se a identidade do Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, revelado a nós em sua encarnação, morte e ressurreição, estivesse sustentada no poder, jamais Ele poderia ser crucificado, pois isto seria uma negação de sua identidade. E a cruz não nos mostra um Deus poderoso, pelo menos não da maneira que entendemos poder, e sim um Deus, do ponto de vista do ser humano caído, fraco.

Como pode um Deus todo poderoso ser crucificado e morrer numa cruz? É isto o que significavam as ironias ouvidas por Jesus enquanto agonizava pregado na cruz. “Ó tu que destróis o templo e em três dias o reedificas! Salva-te a ti mesmo, se és o filho de Deus, desce da cruz!” Mateus 27:40. Para o coração humano caído, incapaz de amar o inamável, e que só entende a lógica do quem pode mais chora menos”. É impossível ser Deus e ser crucificado. Ou é Deus ou é crucificado.

Um Deus crucificado só é possível se a identidade de Deus não estiver no seu poder, e sim no amor. O Deus revelado em Cristo Jesus é o Deus que tem todo poder, mas que porém, é amor. E porque é amor, ama loucamente, a ponto de se fazer fraco, tendo em vista o bem de todos nós, alvos de seu amor.

Somente por este motivo Jesus o Cristo que é Deus, se deixou ser crucificado, e o Pai que é amor, como diz João: “Deus é amor”, pode entregar seu filho. “Pois Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito, para que todo aquele que Nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3:16.

Sendo assim, gostaria de reiterar minha afirmação e deixá-la mais clara. Uma palavra, ainda que esteja contida nas sagradas escrituras, mas que em seu ensino ou proclamação não traz em si, a essência e o Espírito do Deus crucificado, manifestado em Jesus, o Cristo, é palavra do diabo, e não palavra de Deus. É letra que mata e escraviza, e não o Espírito que vivifica: é interpretação humana para a servir interesses escusos daquele que fazem da piedade fonte de lucro. Continua.

Alexandre.

Uma resposta para “TEOLOGIA DA DESCONSTRUÇÃO 4 – O Deus que desconstrói toda expectativa humana de Deus

  1. Sim tudo é verdade e sinto imensa alegria em poder estar de comum acordo. Em comunhão. Os chamados ouvem a Sua Voz, reconhecem a Sua Voz, é a o Verbo Vivo de Deus que se Manifesta, Exaltado seja o Cristo Verbo de Deus, rendo Graças e dou Glorias ao NOSSO REI Único Digno Verbo Vivo e Único Justo. Deus nos da a Vitoria por meio do Cristo Vivo que se Manifesta, amem.

Deixe uma resposta para Marisa Kemmer Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s