se a Verdade não é, nada existe

É impressionante como o espírito e as noções da pós-modernidade têm penetrado de forma lenta e continua as colunas da fé cristã. Porém, mesmo sendo algo sutil e contínuo como uma espécie de infiltração silenciosa, ainda assim, atua com o poder de abalar muitas colunas de sustentação erigidas pelos apóstolos nas escrituras, como parte fundamental na edificação da fé em Jesus Cristo. “O princípio do seu reino foi Babel, Ereque, Acade e Calné, na terra de Sinar.” Gênesis 10:10.

Entre todas estas noções, talvez a mais corrosiva seja a noção pós-moderna que invadiu o pensamento e a forma de ser no ocidente, conhecida como relativismo. O relativismo acaba com os absolutos, e talvez, poucas coisas são tão ofensivas e perversas para a fé em Jesus Cristo, que se absolutiza ao dizer: “…Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim”. João 14:6, do que a noção relativista que sugere que isto não é bem assim.

Esta forma de pensar e valorizar as coisas são fruto de um mundo caído, governado pelo espírito anti-Cristo de satanás, que quer aprisionar as pessoas em uma existência de mentira enquanto Jesus quer libertá-las pelo conhecimento pessoal de Sua própria pessoa bendita, que é a verdade. “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” João 8:32.

Como fica claro no início do texto de Gênesis 10:10, “O principio do seu reino foi Babel”, isto significa dizer que o reino maligno começa gerando uma confusão (sentido da palavra Babel). É justamente isto que o relativismo promove: Confusão, instabilidade, medo e incerteza. Foi assim no Jardim do Edên, e é assim até hoje. “Então, a serpente disse à mulher:É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.” Gênesis 3: 4 e 5.

A serpente aqui está relativizando a palavra de Deus insinuando que o Deus absoluto profere palavras relativas, como quem diz: “Não, não é bem assim não! Não se leva Deus tão a sério assim.” E para que isto não soe de todo mau, a serpente usa uma coisa aparentemente boa para amenizar sua fala, como quem diz: “Fiquem tranquilos, apenas se ampliarão os seus sentido, e vocês partilharão das perspectivas e conhecimentos Divinos.” Subtraindo assim as conseqüências para a comunhão com Deus e conseqüentemente para a vida.

Do mesmo modo o relativismo em nossos dias nos é apresentado como algo bom. Pois crer numa verdade absoluta nos torna intransigente, politicamente incorretos, retrógrados e fora de moda. “Nós precisamos criar pontes de contato e diálogo”, dizem os propaladores dos conceitos relativistas. E com isto podemos concordar, mas com o objetivo de anunciar o evangelho da verdade. Que em sendo anunciado como verdade, na mesma hora será entendido como impossibilitador do diálogo. A menos que seja diluído, misturado e sincrético. Só que neste caso não seria mais o evangelho.

Os relativistas apontam para a beleza dos esforços que têm como meta a busca de objetivos comuns a todos, para que possamos conviver de forma harmoniosa e pacífica, sem correr o risco de ofender a ninguém. Agindo assim, tornaremos a nossa vida muito mais tranqüila e o mundo um lugar melhor para todos. Talvez, só o que não podemos esquecer, é o ensino bíblico de que nós não somos deste mundo. Que nosso objetivo aqui não é a conservação deste mundo caído, mas sim a implantação de novos céus e nova terra onde habita a justiça, pois nós somos aqueles que dão razão ao Deus que crucificou o mundo ao invés de reformá-lo.

Além do que, tentar tornar a custo da verdade da palavra de Deus a vida mais tranquila é tentar nos salvar, e a bíblia diz que quando fazemos isto nos perdemos. E nós estamos aqui para amar o mundo como Deus o amou, e amar o mundo como Deus o amou é ministrar o mundo em prol de libertá-lo das trevas e da mentira em que o mundo todo existe, e isto pela pregação da verdade da palavra de Deus. Além do mais é a própria bíblia que nos adverte: “Ai de vós quando todos os homens de vós disserem bem, porque assim faziam seus pais aos falsos profetas.” Lucas 6:26.

O relativismo está mergulhando o mundo num estado de desordem tal que as pessoas estão adoecendo pela falta de referenciais seguros sobre a vida. Contrariando de forma categórica sua propaganda de um mundo melhor. Porém, o que está por detrás disto são os interesses malignos dos poderosos deste mundo que servem ao príncipe deste mundo na luta contra o Ungido de Deus.

Pois o relativismo é, em última análise, uma sutileza maligna que quer negar Deus, pois negar a verdade é negar o próprio Deus e negar Deus é negar o aferidor de tudo, o autor da vida, aquele que diz como ela deve ser vivida, ou seja, de forma plena, abundante, eterna, em amor e liberdade. E as trevas têm todo interesse nisto: negar o libertador para manter os escravos.

Por esta razão, todas as vezes que aceitamos a síntese humanista de criar um meio termo para unir dois opostos por meio dos conchavos políticos, concessões humanas e piruetas ortográficas, corrompemos a verdade eterna de que a única maneira que Deus teve de unir dois opostos foi na cruz em Cristo Jesus, substituindo esta verdade eterna por uma meia verdade histórica.

Mas isto não acontecerá sem prejuízo para a vida, o evangelho e o testemunho cristão. “Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede de separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade.” Efésios 2: 13 a 16.

Aliás, a meia verdade histórica tem sido uma grande ferramenta nas mãos de satanás para enganar as pessoas que não acatam com amor à verdade. Ele atua nas duas frentes, ora incitando a relativização da verdade, ora se valendo dela quando isto serve a seus interesses malignos. Por esta razão, é um perigo viver neste mundo confiando nos olhos, ao invés de confiar na palavra de Deus. Esquecendo-se que: “… a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.” Hebreus 11:1.

Para afirmar o que estamos dizendo, quero ressaltar aquilo que pode ser notado pelo fato de que o próprio Deus ratifica o discurso da serpente em Genesis 3: 4 e 5 como verdade. Pois Ele é quem afirma. “Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal;” Gênesis 3: 22a. Portanto, é significativo atentarmos para este assunto, e isto é o que gostaríamos de verificar a seguir.

O que é importante saber, é que muitas vezes para obter êxito em seu intento nas vidas das pessoas, satanás se vale de verdades históricas facilmente comprováveis do ponto de vista das conclusões, das verificações e constatações. Um bom exemplo disto é a tentação de Cristo descrita no evangelho de Lucas, onde satanás diz: “…Se és o Filho de Deus, atira-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra.” Lucas 4: 9 a 11.

Nesta circunstância descrita acima, satanás intenta contra a vida de Jesus se valendo de uma verdade que está em sua boca, mas servindo apenas como um adorno, uma espécie de tanga para esconder seu propósito oculto. Visto que em algum momento da história o salmista, de fato inspirado pelo Espírito Santo, disse as palavras de Deus acerca de seu Filho.

E foram estas palavras de Deus pronunciadas na história que, no momento da tentação, foram reproduzidas por satanás. Palavras estas, que ficaram registradas como palavra de Deus nas Santas Escrituras no Salmo 91: 11 e 12, de modo que o engodo está no coração de satanás, e a mentira é sua filha, ainda que em sua boca estejam verdades comprováveis na história.

Quando paramos um pouco para refletir no que estamos dizendo nestas linhas, a obviedade desta prática se dá pelo fato simples de que dificilmente o engodo tem êxito quando é apresentado como mentira escrachada, pois uma mentira dita como mentira vira verdade na mesma hora. Por esta razão satanás se vale de verdades históricas e temporais para ocultar a mentira que ele é, além de buscar obscurecer verdades eternas e infinitas. “nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” 2 Corintios 4:4.

O que precisamos entender é que a questão sobre a verdade que buscamos é existencial, essencial, eterna, e não uma verdade discursiva e temporal. A bíblia nos ensina no que diz respeito a satanás que: “Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer- lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.” João 8:44.

A mentira é própria de satanás, ou em outras palavras, é o próprio satanás, do mesmo modo que a verdade lhe é alheia. Ainda que a verdade saia de sua boca, terá sempre o objetivo maligno de esconder seu ser de mentira. Do mesmo modo podemos fazer uso de verdade para esconder nossa real condição. Aqui reside o cerne da questão, é aqui onde a grande maioria das pessoas enganam e são enganadas. Na falta de discernimento para diferenciar o que se é do que se diz. Ou a condição de fazer a diferença entre o que se é e o que se faz.

O que precisamos entender é que Jesus Cristo é a verdade absoluta sobre tudo e todos. E a verdade eterna (Cristo) se manifesta na história para suplantar todo engano e toda verdade que hoje é, e que amanhã não será mais. De fato, ou nós estamos em Cristo e confiamos em sua palavra e arcamos com as consequências disto em nós e sobre nós, ou criamos a religião do meio termo, onde nós somos a nossa referência na busca de uma vida tranqüila, sabendo, porém que isto é estar perdido, além de ser a negação da verdade que é Cristo. E digo-vos que todo aquele que me confessar diante dos homens também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus. Mas quem me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus. Lucas 12:8-9.

Na graça bruta d’Aquele que é graciosíssimo,

Alexandre.

Caso queira comentar, esta é a hora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s