“O evangelho todo para o homem todo”

946647_615332611830501_1924465566_n

Esta noite estivemos nas ruas de minha cidade, uma noite de muito frio como é comum esta época do ano em cidades do sul do nosso país. Um grupo de pessoas jovens outras mais experientes foram ajuntadas e impelidas por uma ação poderosa porem, graciosa que claramente esta para além de nós e é contrária a nossa carne que teima em se importar apenas consigo.

Numa ação fluida simples e singela, orgânica como a vida que flui sem empecilhos, como a fluidez da vinha que sem força manifesta seus frutos, como algo lógico a sua natureza de vinha. Logo nos deparamos com um amontoado de roupas, cobertores, sapatos doados por nossos irmãos e dezenas de marmitas quentinhas, cheias de sopa, além de mão e pés oferecidos a Deus como instrumentos de Sua Graça.

Sem rumo, sem plano, sem saber como fazer apenas indo, seguindo o caminho que Deus mostraria, saímos de nossa fortaleza aterrada imóvel, seguimos o Caminho. Logo que seguimos o Caminho, nos deparamos com a Verdade. E quando estamos diante Dela, percebemos o quanto somos mentira.

Ela, a Verdade, nos acolheu na aceitação do Sergio, um mendigo sem pão, sem chão e com frio, que, sem pudor algum, alçou as mãos aos céus e, em meio a um sorriso com poucos dentes, manifestou toda aceitação diante da oferta da Graça para aquele dia. Diante da pergunta:

– “Você gostaria de uma sopa quentinha “?

Respondeu:

– “Eu quero tudo o que vocês me derem”.  – Ele repetiu três vezes. O Sergio foi uma parábola para mim.

Nós, os “abençoados”, temos a cara de pau de reclamarmos e em meio ao louvor, reclamamos da bateria, do banco duro, da temperatura do ar condicionado em nossas igrejas, enquanto a índia de dois aninhos tentava dormir ao relento. Seu irmão de seis encostava o máximo que podia sem queimar os pés descalços e duros de frio na fogueira de pouco gravetos. Quando citávamos o nome daquele que nos havia enviado a eles, Jesus Cristo o Senhor, todos manifestavam reverência e gratidão diante do nome de Jesus.

Pensei quantas vezes não louvamos a Deus pelo que temos, pois nossos olhos estão fitos naquilo que não temos, produzindo lamurias, invejas, ganâncias e reclamações. Sempre precisamos de mais, pois a Graça não nos basta, e como a Graça já nos deu muito, ficamos celetistas em relação a suas ofertas, a igreja brasileira que Deus abençoou para se dar, resolveu reter e acumular.Espero que nos arrependamos e Aquele que conhece as nossas obras não retire de nós o castiçal.

Quando seguimos o Caminho encontramos sentido, e em seguir o Caminho nos deparamos com a Verdade que nos liberta de nós mesmos e de todas essas bobagens sem importância que nos escraviza. A verdade tem o poder de nos expor como mentira, vaidade e de produzir em nós um profundo senso de não ser. Ao mesmo tempo em que ela nos expõe, Ela também revela Deus, o Deus que é Amor, e o amor de Deus por gente, gente como a gente, porem com pouco. E por ter tão pouco, sabem reconhecer o amor de Deus em gestos simples, e estarem contentes e prontos a louvarem a Deus por um simples prato de sopa.

E por ver na face de cada um deles o amor de Deus por gente, é que a gente encontra a Vida. Pois nos deparamos com um amor que é capaz de mesmo em meio a tanto sofrimento produzir corações gratos e um louvor genuíno de lábios que confessam o nome de Jesus Cristo como o Senhor, ainda que suas circunstâncias digam o contrário. E encontramos esperanças para nós que temos tanto e louvamos tão pouco. Talvez Dostoiévski estivesse certo, são os tais que entrarão no Reino de Deus, por um simples motivo. Jamais se acharam dignos dele.

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”.

João 14:6.

Alexandre.

5 Respostas para ““O evangelho todo para o homem todo”

  1. Tenho experimentado também coisas como estas, tenho conhecido pessoinhas lindas nas ruas da minha cidade, muitas delas depedentes quimicos que vivem na mais pura desumanização pela nossa “sociedade santa”, pessoas que me tratam com um amor jamais visto por mim em qualquer tipo de cominidade chamada “igreja”, pessoas que não se sentem dignas nem de receber sua oferta seja qual for por não se acharem dignas,, mas hoje reconheço que é delas o Reino que o nosso Pai preparou !!!
    Por mais que façamos, ou nos doemos em amor, sem querer mudar ninguem ou fazer prosélitos, ainda é pouco.
    Reconheço e entendo com uma clareza solar, o texto de Isaías 58, é este o verdadeiro Jejum (adoração, louvor, culto ao Altissimo), é esse o verdadeiro sentido de Igreja (chamados para fora), pois foi assim que o Mestre fez e nos deixou para que fizessemos!!

  2. Que o gesto de vcs, inspirados por Deus, também inspire outras pessoas a fazerem o msm! O pão mais precioso que podemos compartilhar com o próximo, é Ele, Jesus, O pão da vida, que deu a vida em favor de muitos! Graça e Paz.

  3. O evangelho todo para o homem todo” e para todos os homens.¨¨pois a vontade do Senhor é que todos sejam salvos. aleluia.

  4. Profundo…. que Deus tenha misericórdia de nós, pecadores, indignos do céu…. mas, pela graça, alcançados e remidos por Cristo…… Que Deus tenha misericórdia de nós que somente criticamos e fazemos tão pouco!!!! Fazemos não para ser salvos, mas, apenas como expressão de amor pelo próximo. Que Deus tenha misericórdia de nós!!!

Deixe uma resposta para Adriano Neto Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s