CHAMADOS A CRER

DSC_0540

“Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário que sejais contristados por varias provações, para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado pelo fogo, redunde em louvor, gloria e honra na revelação de Jesus Cristo”. 1 Pedro 1: 6-7

Em nossos dias, é evidente que o cristianismo passa por uma crise. A igreja tem sido inundada, por um pensamento humanista, que encontra sua lógica no mundo. Em outras palavras, os mesmos objetos de desejo do mundo, bem como a maneira pela qual podemos obtê-los, são encontrados e praticados dentro das igrejas com uma máscara de piedade, além, de o homem e sua vontade egoísta, estar no centro, e não Deus. As escrituras nos ensinam, claramente, que a sabedoria deste mundo é loucura para Deus. “Onde está o sábio? Onde, o escriba? Onde o inquiridor deste século? Por ventura não tornou Deus louca a sabedoria deste mundo”? 1Coríntios 1:20.

O que pode causar uma crise como esta, é quando nós como igreja, ou eu, como parte do corpo de Cristo, sedo às pressões mundanas, e opto pelo caminho mais fácil da indiferença (Tiago 2:15 e 16), que é incompatível com a cruz, e escolho o descaso e a incredulidade nas escrituras, seguindo o curso natural deste mundo, de relativisar, ou de não dar o devido crédito à palavra de Deus, permitindo o entrar sorrateiro, dos ensinamentos humanos, que tem a sua lógica neste mundo, mas não no reino de Deus,o que faz desta crise uma crise de fé.

“Mas houve também entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos mestres, os quais introduzirão encobertamente heresias destruidoras, negando até o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si repentina destruição”. 2 Pedro 2:1.

Deus é todo poderoso por definição, Ele pode fazer tudo, “Pois para Deus nada é impossível”. Lucas 1:37 . Mas Ele não é como nós, que muitas vezes fazemos as coisas, só porque podemos faze-las. Existe algo que restringe a ação de Deus, “… seu muito amor com que nos amou”. Efésios 2:4b. Ele poderia muito bem ter nos destruído, depois da nossa rebelião e queda, mas não o fez, por causa do seu Amor por nós. Portanto, é com este espírito de amor que eu quero chamar a atenção dos irmãos, para não nos deixarmos seduzir, e estarmos firmes contra as investidas deste mundo, e sua religião sem cruz, e sem a fé provada por Deus. Na bíblia, são inúmeros os escritos que tem como objetivo, corrigir desvios teológicos, conduta dos irmãos, alertarem a igreja contra falsos obreiros, ou contra correntes filosóficas como o gnosticismo, que de alguma maneira, procurava minar os pilares da fé cristã, e nada é mais essencial para nós como cristãos, do que a fé na palavra de Deus. Entre estes escritos bíblicos, encontra-se a carta de Tiago. A reflexão sobre essa carta se faz necessário, tendo em vista os ensinamentos preciosos que o Espírito Santo nos dá sobre fé. Pois esta, a fé, e fé na palavra de Deus, é o único antídoto, que temos, contra esta prática que tem mergulhado a igreja nesta crise, de se viver pela lógica deste mundo, ” porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e está é a vitória que vence o mundo: a nossa fé”. 1 João 5:4. Tendo em vista que a fé é um convite à loucura, pois nos ensina a ter “… convicção em coisas que se esperam, e a provar fatos que não se vêem”. Hebreus 11:1. Para isto temos o convite de Deus.“…O meu justo viverá da fé”. Romanos 1:17.

A carta de Tiago tem sido no decorrer da história, um escrito muito peculiar, pois entre os estudiosos, há uma necessidade de criar uma harmonia entre o escrito de Tiago e os escritos paulinos, como se de alguma maneira tivéssemos que fazer um esforço para mantê-los dentro de um Cânon, onde ela possa coexistir com os escritos de Paulo, tendo em vista a aparente contradição, principalmente entre Romanos capítulo 4 e o capítulo 2 de Tiago.

E o que dizem estes dois textos? Vamos começar lendo Romanos capítulo 4, a partir do verso 2 até o verso 5, “Porque se Abraão foi justificado por obras, tem do que se gloriar, porem não diante de Deus. Pois que diz as escrituras? Abraão creu em Deus e isso lhe foi imputado como justiça. Ora, ao que trabalha, o salário não é considerado como favor, e sim como dívida. Mas, ao que não trabalha, porem crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é atribuída como justiça”.

Agora o texto de Tiago, capítulo 2 a partir do verso 14, “Meus irmãos, qual é o proveito se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Também do 18 ao 23, ” Mas alguém dirá:Tu tens fé, eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu, com as obras, te mostrarei a minha fé. Crês, tu, que Deus é um só?Fazes bem. Até os demônios crêem e tremem. Queres, pois, ficar certo, ó homem insensato, de que fé sem obras é inoperante?Não foi por obras que Abraão, o nosso pai, foi justificado quando ofereceu sobre o altar o próprio filho Isaque? Vês como a fé operou juntamente com as obras; com efeito, foi pelas obras que a fé se consumou, e se cumpriu as Escrituras, a qual diz: Ora, Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça; e: Foi chamado amigo de Deus”.

Será que o Espírito Santo cometeu um engano? Será que precisamos dar um jeitinho brasileiro para ajudá-lo, de maneira que Ele não fique desmoralizado depois de uma gafe tão grande? Será que ele se daria ao papel de depender de piruetas exegéticas humanas, na esperança de que o ajudemos a limpar a sua barra, pois afinal de contas, não pode haver contradições nas escrituras.

Ou será que a questão é outra? Seria possível o problema estar em nós? Nós que muitas vezes distorcemos a palavra de Deus que é viva e eficaz, quando de alguma maneira ela não nos parece favorável. Quando ela insiste em não ceder, de maneira a tornar mais fácil a nossa vida de cristão. Quando ela permanece firme, rígida como uma rocha, forçando-nos a aceitá-la como Ela é, ou então, inventarmos subterfúgios para desqualificá-la, ou mesmo ignorá-la. Nisto reside à causa da crise atual da igreja.

Não se trata aqui de uma questão soteriológica, referente à salvação, se ela, a salvação, é pela graça ou é pelas obras, como alguns querem sugerir. A carta é dirigida a salvos, portanto a questão não é esta, e este é um assunto que deveria estar superado. É evidente que a salvação é pela graça. Não tem nada a ver com mérito humano. Achar que a salvação vem por mérito, é uma tentativa dos que ignoram o caráter amável e gracioso de Deus, e a condição de morte e pecado, em que o velho homem se encontra “… Não há um justo, nem um sequer…”. Romanos 3:10.

Ou daqueles que cogitam das coisas dos homens, que insistem em manter o velho homem como centro do universo, mesmo que seja no meio de uma igreja, porém, recusando-se a ir para o seu lugar de direito, ou seja, a cruz.

A palavra de Deus já pois um fim a esta questão quando diz: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie”. Efésios 2:8 e 9.

O assunto aqui é sobre fé, em seu sentido mais puro. Mas o que é fé? Não é difícil, encontrarmos pessoas que confessam crer em Jesus Cristo, ou que dizem acreditar em Deus, no entanto, o negam com seus atos, ou vivem na prática da injustiça, como se Deus não existisse, será que isto é fé? ” Professam conhecer a Deus, mas negam-no pelas suas obras, sendo abomináveis, desobedientes e reprovados para toda boa obra”. Tito 1:16

Essas pessoas acham que pelo simples fato de dizerem que acreditam na existência de Deus, ou de Cristo, terão algum crédito, com Aquele que sonda os corações. E que sabe provar nossas declarações, para saber se elas partem de um coração imperfeito, porém sincero, de alguém que reconhece o seu pecado, e tem em Cristo sua única esperança de mudança de vida. Ou se parte de alguém que não se importa de professar sua fé em Deus e em seu Cristo, desde que isso não requeira dele, sofrimento, compromisso e auto negação, ou seja, desde que ele não precise tomar a sua cruz, e nem andar nas pegadas de Jesus. “Pois vos foi concedido, por amor de Cristo, não somente o crer nele, como também o padecer por Ele”. Filipenses 1:29.

Cristianismo sem cruz é a proposta da religião do mundo, e fé sem compromisso e envolvimento, é o mesmo que cristianismo sem cruz, e isso é tudo o que Tiago esta combatendo em sua carta. Como podemos entender Abraão como amigo de Deus justificado pela sua fé em Deus, sem o momento de cruz. Como seria se, diante da promessa de Deus “Olha agora para o céu, e conta as estrelas, se as pode contar. Então lhe disse: Assim será a tua descendência”. Gênesis 15:5. Abraão dissesse: creio em ti Senhor, e logo em seguida, quando Aquele que sonda os corações, viesse a provar sua fé, dizendo “Toma teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai a terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre um dos montes que eu te mostrarei”. Gênesis 22:2, Abraão falasse: De jeito nenhum!E recusasse obedecê-lo?

Será que ele estaria na lista dos personagens de fé de Hebreus 11? Será que ele seria chamado, amigo de Deus, e pai da fé? Provavelmente não. E porque achamos que conosco pode ser diferente? Porque achamos que a nossa declaração de fé em Cristo, pode ser acompanhada por uma falta de compromisso com sua palavra, e uma clara falta de preocupação em obedecê-lo, a pergunta insiste em não se calar “Pode tal fé salvá-lo”? Tiago 2:14b.

Para Tiago tal fé é inoperante, uma fé que não é capaz de ter envolvimento prático, não é fé, “… fé sem obras é morta em si mesmo”. Tiago 2:17. O que percebemos em Hebreus capítulo 11 é justamente isso: cada personagem, daqueles citados, não somente expressaram a sua fé de maneira verbal, mas tiveram a sua fé confirmada por aquilo que fizeram, ” Pela fé abraão , ao ser provado, OFERECEU Isaque, “Abraão creu em Deus, por isso SAIU sem saber para onde iria”, ” Pela fé Noé, CONSTRUIU uma arca.

Os simpatizantes de Cristo podem até ficarem desapontados, mas não podemos baratear a graça de Cristo, assim como Cristo não pode fazer nada diante daquele jovem rico, que achava Cristo legal, que até o reconhecia como mestre, que estava disposto a fazer algumas coisas para ganhar o reino de Deus, mas que ficou despontado, ao saber que o caminho para o discipulado proposto por Cristo, leva ao compromisso e a cruz.

Devemos nos alegrar, pelas circunstâncias trazidas por Deus, que tem como objetivo provar a nossa fé, para que depois de provada, ela “…Redunde para louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo”. 1Pedro 1: 7. Fé é existir para Deus, confiança em Deus e descanso. “…O meu justo viverá da fé”. Romanos 1:17.

Alexandre.

Caso queira comentar, esta é a hora!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s